Equipas multidisciplinares e comprometidas garantem o sucesso das organizações

Ana Rosado e Sofia Bastos dos Santos, Senior Partners da askblue, em entrevista ao país positivo no Mês da Mulher.

NÓS MULHERES!
É ainda hoje difícil afirmar uma empresa área da tecnologia sendo mulher? Há ainda quem se interrogue sobre as capacidades femininas nestas áreas das tecnologias?
[SBS] Felizmente, a presença das mulheres em todos os sectores de actividade é cada vez maior e a tecnologia não é excepção. As empresas desta área privilegiam, de uma forma geral, a meritocracia, independentemente do género, o que tende a atenuar eventuais preconceitos de qualquer espécie. Claro que a existência de uma cultura de inclusão, bem como de sistemas de avaliação e carreiras bem definidos, constituem factores críticos de sucesso para esta realidade. São contextos que temos na AskBlue desde o primeiro dia e que garantem transparência e equidade na gestão das pessoas.

É fundamental que se continue a lutar pela igualdade de género e oportunidades?
[SBS] Continua a ser fundamental, claro, mas assumirá com certeza formas diferentes de há 50, 60 anos. Felizmente, o legado que deixamos às nossas filhas, neste contexto, é muito diferente daquele que as nossas mães nos deixaram a nós. Mas numa sociedade em que a violência doméstica ainda é notícia todos os dias, e as mulheres são as principais vítimas, é uma sociedade em que ainda há muito trabalho a fazer, num sentido bastante mais amplo que apenas o contexto profissionaL
Fundada em 2013, a AskBlue destaca-se no pano¬rama das tecnologias de informação.

Quais são as características que permitem que uma empresa, apesar de jovem, tenha conseguido implementar-se de forma tão efetiva?
[Ana Rosado] A principal característica diferenciadora da AskBlue é a aposta na criação de uma equipa de excelência desde o início da empresa, capaz de conjugar o conhecimento de tecnologia com o negócio. A equipa é constituída por profissionais reconhecidos no mercado, com experiência profissional diversificada em ambientes nacionais e internacionais e em contextos organizacionais complexos. A estes temos vindo a adicionar um conjunto de pessoas oriundas de diversas áreas científicas, provenientes das melhores universidades, e que formamos nas diversas tecnologias e na nossa cultura de empresa. Estas características permitem que a AskBlue, em conjunto com os seus clientes, desenvolva novos negócios, potenciando a cadeia de valor e otimizando e transformando o desempenho operacional em cada projeto desenvolvido, assegurando o sucesso e o reconhecimento da empresa.

O conhecimento de mercado e recursos humanos especializados são um fator de diferenciação?
[Sofia Bastos dos Santos] Conforme referimos antes, a AskBlue aposta na excelência e na senioridade da equipa, conjugada com uma capacidade de inovar e de procurar sempre as melhores soluções para os requisitos dos nossos clientes. Aliado a uma total transparência nos processos de gestão interna, permite criar um espaço ideal para permitir o desenvolvimento do talento e dos profissionais que, no limite, são a base do reconhecimento da excelência da AskBlue.

Com um volume de negócios de cerca de cinco milhões de euros em 2017, a empresa tem vindo a apostar em novos mercados e setores?
[AR] A AskBlue começou com um forte foco no mercado financeiro , e essa é a génese da empresa. No entanto, temos vindo a desenvolver negócios, de forma crescente, em outros setores de atividade, como sejam a saúde e o retalho. As competências e capacidade de execução da equipa da AskBlue são transversais e podem ser aplicadas em qualquer setor de atividade.

Quais são, efetivamente, os serviços que colocam à disposição dos clientes?
[SBS] Os serviços da AskBlue centram-se nas áreas de consultoria, tecnologia, operações e outsourcing.

A AskBlue é uma empresa que gosta de desafios. As empresas nacionais têm já a capacidade de lançar desafios e de analisar propostas de valor?
[AR] Existe um conjunto alargado de empresas em Portugal com elevados níveis de sofisticação, dos setores tradicionais aos mais diferenciados. O número de novas empresas e startups é um exemplo disto , nomeadamente com ofertas digitais inovadoras, para percebermos que existe um potencial grande de profissionais e empresas capazes de competir a nível globaL A própria Askblue iniciou em 2018 o seu processo de internacionalização, orientado aos mercados da Europa do Norte e Médio Oriente, com resultados notórios e já com projetos em curso.

Em termos futuros, quais são os principais objetivos da AskBlue para 2019?
[SBS] Pretendemos continuar a crescer de forma sustentada e equilibrada. Lançamos recentemente o centro tecnológico – askblue tehcnology center – o qual constitui um extensão importante da nossa capacidade de entregar serviços de desenvolvimento e manutenção e que, com certeza, irá crescer ao longo de 2019. Queremos continuar a afirmar-nos no mercado durante este ano.

Na sua opinião, o que traz a visão feminina para a gestão e alcance do sucesso da AskBlue?
[AR] O sucesso da AskBlue deve-se totalmente ao empenho e compromisso da equipa. Trata-se de uma equipa muito diversa, perfis mais seniores, juniores, técnicos, de negócio, analíticos, comerciais. Todos se complementam com diferentes visões do mesmo problema e dessa complementaridade nascem as boas soluções. Nesse sentido, não se trata de uma visão masculina e feminina, mas sim de diferentes visões de uma equipa multidisciplinar, mobilizadas ao redor de um objectivo e com um grande espiríto de missão que é entregar com qualidade.

DESAFIOS DO MUNDO ATUAL

Hoje, os desafios para as empresas são muitos e a diversos níveis. A oferta da AskBlue foi pensada para ajudar os clientes a responder a estes desafios no sentido de se manterem a par do que melhor se faz?
AR] Claramente. A oferta da askblue foi desenhada tendo em conta a cadeia de valor que os clientes procuram e necessitam. Os desafios da transformação digital não se esgotam de todo na tecnologia. O conhecimento do negócio e dos processos é uma parte importante desta cadeia de valor. Trabalhamos essa componente nas ofertas de consultoria e tecnologia. Nesta última temos obviamente o conhecimento técnico das tecnologias mais presentes nestes processos de transformação digital, por forma a entregarmos um produto final de qualidade. As ofertas de operações e outsourcing completam a cadeia de valor, permitindo aos clientes focar a atenção das suas equipas no que é estratégico em cada momento, e complementar a sua capacidade, com maior ou menor intervenção da sua parte, na gestão do dia a dia, recorrendo às nossas ofertas de operações e outsourcing. Ambas são boas alternativas nomeadamente no tocante à gestão do parque aplicacional que é preciso manter, numa altura da vida das empresas, em que este é cada vez maior, fruto da convivência de ativos que, embora estejam a ser descontinuados, continuam vivos, e de outros, que são produzidos a grande velocidade no âmbito dos processos de transformação digital em curso.

TECNOLOGIA NO SETOR FINANCEIRO

Numa altura em que as Fintech começam a ganhar, cada vez mais, relevo em Portugal, a AskBLue poderá ser o parceiro certo para transformar uma organização e dotá-la do que é necessário para competir neste setor?
[AR] As Fintech são por inerência às exigências do desenvolvimento tecnológico um negócio capital intensivo, que conquistou o seu espaço no mercado muito à base de uma forte diferenciação do preço, quando comparado com os bancos. Um exemplo disto é o negócio gerado no domínio dos pagamentos internos e crossborder. Gerir uma equação de exigência de capital e competitividade preço é um desafio de escala, de valorização do ativo para uma venda futura ou de eminente necessidade de diferenciação do negócio, onde o espaço de oportunidade é cada vez mais difícil. A Ask Blue distingue-se pelo seu profundo conhecimento do negócio do setor financeiro e da sua operacionalidade específica, sendo este capital de conhecimento importante, quer para um banco que decida adquirir e integrar a solução de uma Fintech, quer para uma Fintech que tenha que diferenciar o seu negócio. Presente¬mente as Fintech não são uma área de foco da Askblue.

Os paradigmas de consumo, em termos de instituições financeiras, estão também a mudar. A necessidade aguça o engenho no sentido de criar soluções que respondam, antecipadamente, às necessidades que os clientes possam vir a ter?
[SBS] As organizações do setor financeiro, a exemplo de outros setores, enfrentam desafios na forma de gerir as interações com os seus clientes, proporcionando-lhes uma experiência positiva e acompanhando-os ao longo da sua evolução pessoal e profissionaL Por outro lado, os desafios da regulação também criam pressões para a gestão das organizações. Perceber como servir melhor os clientes, res¬ponder às suas necessidades comportamentais no quadro de uma regulação cada vez mais exigente é seguramente um dos principais desafios de qualquer instituição do setor. Temos estado envolvidos em iniciativas de transformação digital em alguns players importantes do setor, bem como na implementação de iniciativas de carácter legal e regulatório, tal como o RGPD.

Share on linkedin
Share on facebook